Habronemose Equina

0
56

Habronemose Equina

A Habronemose, doença que causa incômodo e sofrimento aos animais, tem sido tratado com eficiência comprovada com as aplicações de laser com que trabalhamos. Um grande benefício do tratamento a laser é a diminuição considerável do tempo em que as feridas causadas pela habronemose são cicatrizadas: com o tratamento convencional, as feridas podem levar meses para serem tratadas e, com o laser, essas feridas são cicatrizadas em tempo muito menor, cessando o sofrimento causado pelas mesmas. Conheça um pouco mais sobre essa doença e veja, ao fim do artigo, a recuperação de um cavalo que fez seu tratamento com aplicações de laser, pela veterinária Sandra Kaufman, cujo contato pode ser visto através do Canil Jomaiana – www.caniljomaiana.com.br .

A habronemose (cutânea) equina, também conhecida como “esponja” ou “feridas de verão”, é uma verminose causada pelo ciclo errático de larvas dos nematódeos Habronema spp e Drashia megastoma. No geral, é uma doença que não leva à morte, mas causa prejuízos estéticos e queda de rendimento do animal.
A doença é mais comum no verão (por isso o nome popular), por se tratar do período em que as moscas se reproduzem em maior velocidade, favorecendo o ciclo da habronemose.

Ciclo da doença
No ciclo natural, as larvas do parasita são eliminadas pelas fezes no ambiente, e são ingeridas pelas moscas Musca domestica (mosca doméstica) ou Stomoxys calcitrans (mosca do estábulo). Após o desenvolvimento do parasita internamente, as moscas atuam como vetores, depositando as larvas próximo à boca do equino, permitindo a deglutição. No estômago do cavalo, as larvas irão se desenvolver e se reproduzir. As fêmeas do parasita eliminam ovos ou larvas imaturas, que serão eliminadas pelas fezes, completando o ciclo.
Dentro desse ciclo natural, a ingestão das larvas pode ser pela eliminação do parasita pelas moscas, ou também pela ingestão acidental de larvas no ambiente, ou até mesmo da própria mosca (que por ventura caia na água, por exemplo).
No caso do ciclo errático, as moscas depositam as larvas em feridas expostas da pele, ou em regiões onde o animal não consegue espantar a mosca (cabeça, abdômen, e pênis), sendo incapazes de completar o ciclo, e morrendo. A presença das larvas gera uma reação inflamatória e de hipersensibilidade (alergia), com lesões ulcerativas e bastante incômodas.

Sintomas
Lesões pequenas nas regiões suscetíveis, com prurido intenso, intensificando a gravidade conforme o animal procura se coçar.

Diagnóstico
A partir do raspado e biópsia cutânea da lesão é possível visualizar e identificar o parasita.

Prevenção
A completa e sistemática higienização do ambiente em que vivem os animais é fundamental para a prevenção deste mal.

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA